domingo, 16 de maio de 2010

o Aeroporto de Teresina


Edmar Oliveira

.

Eu adoro o aeroporto de Teresina. Tenho viajado muito por força do meu trabalho e dá pra fazer uma comparação de aeroportos, onde tenho ficado mais tempo do que dentro das aeronaves. E para certas cidades do nordeste (nesse quesito Teresina é primeiro lugar) você não faz um vôo como antigamente em que conexão (quando tinha) era coisa de minutos. Fica esperando o avião passar, como em ponto de ônibus. Falando nisso, aeroporto tá muito parecido com rodoviária. Na confusão e na sujeira. E os aeroportos, no mundo todo, foram feitos quais shopping center: você não sabe a hora nem onde está. E eles ficam te mandando pelos alto-falantes "devido o novo posicionamento da aeronave" pra tudo quanto é portão de embarque, menos o que está escrito na papeleta de embarque. Como tem aqueles túneis separando você da aeronave, você não sabe nunca pra onde está indo. O tempo de espera é infinitamente aumentado pelo tempo de stress. Eles lhe enganam o tempo todo. Às vezes você é chamado para embarcar quando a aeronave nem aterrisou. Por isso você vai ser deslocado, “devido o novo posicionamento, etc.” Situação vexatória em todo lugar. Menos em Teresina.

.

Na terrinha o aeroporto é das antigas, sem túneis e passarelas, que não se precisa. No máximo seis vôos ao dia, raro é o momento em que há duas aeronaves no pátio. Ali a situação de embarque e espera é muito simples. Mas as autoridades cismam de manter o padrão dos grandes aeroportos. E você é chamado para embarcar antes do avião descer. Só que todo mundo ta vendo o pátio e se não tem avião algum chegado não vai sair nenhum, nem que seja a última chamada do autofalante, daquela voz macia de Íris Letieri (onde andará a voz dos aeroportos?). Portanto não há stress. Pode-se ficar no bar, no segundo andar, tomando uma bebida pra relaxar e ignorar as chamadas eletrônicas com ping boing! Você escuta o bicho chegar, ver ele atracar no pátio sem sair de sua mesa, assiste o pessoal descer, as trocas de bagagens e quando tiver gente entrando (os estressados que esperam hora e meia na sala de embarque do portão A – e só tem um portão!), você paga a conta e sai devagar em tempo de embarcar na aeronave. Né um sossego só? Por isso eu gosto do Aeroporto de Teresina e sou contra sua modernização precipitada.

____________________

a foto lá em cima foi feita do meu celular enquanto saboreava uma cerveja gelada no bar do aeroporto. Veja como tudo fica a mostra: as bagagens, o abastecimento, o desembarque. Reparando bem, parece até que o bicho tá amarrado no pé de carnaúba que se ergue no pátio...

4 comentários:

João de Deus Netto disse...

Edmar, sente só minha paranoia: todo este clima da rodoviária de Campo Maior em um aeroporto, só me preocupa porque estamos falando de uma cidade de quase 1 milhão de habitantes! Porquê?!!! Porque aí está escancarado de que IDH estamos falando! Meu Deus, não tem mais volta: quanto mais stress e paranoia, mais progresso, mais gente com notebook debaixo do braço; mais turista procurando o que esculhambar... É daqui pra panela. Ah, o aeroporto de Maringá(PR)(340 mil habitantes) tem 15 voos diários distribuidos por quatro companhias aéreas.
No mais, Edmar, vamos pro Salipi?

contato disse...

Caro Edmar, neste seu comenário-matéria sobre o aeroporto da sua Teresina, você faz uma indagação sobre a Íris Letieri. Ela agora milita em tambem em rodoviárias, com suas precisas informação sobre os horários de chegadas e partidas de ônibus. Isto porque, corroborando com o seu texto, aeroportas e rodoviárias cada dia que passa, se parecem mais.
Lá na rodoviária da minha Sousa, já tem a sua Íris Letieri, que diariamente pede ao povo para ocupar os seus lugares, que o ônobus tá num pé e noutro prá ir embora.
Abração.
Chico Salles.

Fernando Gustav disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fernando Gustav disse...

Realmente Edmar, nada melhor do que ficar ali no bar do aeroporto vendo botá o cabresto no bicho e amarrar no pé da carnaubeira pra mode ficar na sombra!!!!