sábado, 9 de fevereiro de 2008

rubens gerchman
















A espaçonave de Rubens Gerchman desapareceu no espaço na terça feira, justo uma semana antes da terça gorda do carnaval.
Lindonéia, a Gioconda do Subúrbio, (1966) foi obra de grande importância nas artes brasileiras e aqui homenageia o artista. Este quadro esteve na exposição "Tropicália", que aconteceu no MAM, no final do ano passado. Caetano reverencia a obra em letra do disco Tropicália (1968). A voz era da Nara. Quem viveu lembra.

Lindonéia


Caetano Veloso/Gilberto Gil


Na frente do espelho

Sem que ninguém a visse

MissLinda, feia

Lindonéia desaparecida


Despedaçados

Atropelados

Cachorros mortos nas ruas

Policiais vigiando

O sol batendo nas frutas

Sangrando

Oh, meu amor

A solidão vai me matar de dor


Lindonéia, cor parda

Fruta na feira

Lindonéia solteira

Lindonéia, domingo

Segunda-feira

Lindonéia desaparecida

Na igreja, no andor

Lindonéia desaparecida

Na preguiça, no progresso

Lindonéia desaparecida

Nas paradas de sucesso

Ah, meu amor

A solidão vai me matar de dor


No avesso do espelho

Mas desaparecida

Ela aparece na fotografia

Do outro lado da vida

Despedaçados, atropelados

Cachorros mortos nas ruas

Policiais vigiando

O sol batendo nas frutas

Sangrando

Oh, meu amor

A solidão vai me matar de dor

Vai me matar

Vai me matar de dor

2 comentários:

mgracia disse...

Edmar,
Conheci Rubens Gerchman no seu atelié em Manhattan em 1969. Dono de uma vitalidade exuberante foi(e é)talento que reencontrei anos mais
tarde no MAM neste Rio de Janeiro.
Recordo com satisfação nossas
conversas sobre, também, seu grande
conhecimento das artes visuais. Rubens era de um desprendimento e
generosidade imensos. Sorte de quem,mesmo por pouco tempo, pôde
com ele estar. Graça

mgracia disse...

Edmar,
A propósito : Gostaria muito mas
não, não sou a inspiração que motivou Gerchman a criar a Lindonéia em 1966.
Só vim a conhecer Gerchman em 1969.
Graça