quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

um conto de natal


Edmar Oliveira

.

o menino-deus das tuas crenças

é o mesmo diabo-menino que te assalta a cada esquina

exigindo a justiça divina aqui na terra como no céu

.

e deus não sabe mais o quê fazer

vendo seu filho cheirar o crack de cada dia

procurando ressurgir dos mortos abandonados

para que a pedra lhe leve aos céus

.

nesse natal o menino-deus não nasce

é o diabo-menino quem morre...



7 comentários:

João de Deus Netto disse...

Fé vocês têm, só que voltada para o lado oposto... Aí o coisa ruim faz a maior festa preparando a chegada dos seus fãs. Dê lembranças ao Darwin; ao pervertido do Freud, os Papas, o Médici, o Costa, o Golbery, Michael, Raul, diga a ele que seu amigo Paulo Coelho e o adversário, Edir, não vêem a hora de fazer a "viagem". Menino, é tanta gente. Êita tinhosos pra ser popular, credo!

Paulo Tabatinga disse...

Poema enxuto e real. emocionou-me muito. feliz natal - aliás, Feliz reflexão!

Anônimo disse...

Caríssimo Edmar,

Este seu texto tráz nas entrelinhas, uma competição entre o bem eo mal, e neste seu caso, o mal está ganhando. Qual o melhor lado ficar?

É sempre mais fácil se caminhar para o lado vencedor. Aqui creio que vale pensar!

Feliz 2010,
Chico Salles.

Bernardo Fortes disse...

Ó o cara, emocionou-se porque vai para o inferno... Jeus, Edmar, josé!

Bernardo Fortes disse...

Estou falando da alegria do sr. Tabatinga.

Paulo Tabatinga disse...

Acho que tua chateação não é por causa dessa postagem. deve ser por causa de outra.
" não sou jesus.
mas deci à mansão dos mortos"

D'u Carvalho disse...

Nossa! Muito bom.
Escreves muito bem!
Parabéns!!