quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Arnaldo Albuquerque




ESSA RARIDADE MERECE SER PUBLICADA NO PIAUINAUTA, NÃO ACHAS? UM AMIGO ALUNO DE CINEMA (O ARISTIDES) ENCONTROU E ME ENVIOU.

POR CONTA DESSA CHARGE ARNALDO FOI INTIMADO A COMPARECER À SEDE DA POLÍCIA FEDERAL POR DESACATO A AUTORIDADE E TENTATIVA DE SOLAPAR A ORDEM VIGENTE INSTITUÍDA PELOS BRAVOS MILITARES LÍDERES INCONTESTES DO GLORIOSO MOVIMENTO REVOLUCIONÁRIO DE 31 DE MARÇO DE 1964.

___________________________

Mandado por Durvalino

2 comentários:

João de Deus Netto disse...

Eu também recebi uma visitinha de dois agentes do Dops, na redação do jornal O Estado, em teresina no início dos anos 70, e ao serem informados de que a ameaça diária à redentora, era um esquálido menino que era ver um tamanco, só o couro e o pau, deram a meia volta, volver, e foram para a sala do dono, Hélder Feitosa. Precisa nem dizer que as próximas charges passaram a pegar mais leve. Bom mesmo foi ver a cara de preocupação dos jornalistas e finados Carlos Dias e Alberone Lemos que sairam em seguida lá para o Novo Hotel, na esquina da Álvaro Mendes, tomar a 3ª gelada, da edição daquele dia histórico. Pra mim.

João de Deus Netto disse...

Correção: era no Grande Hotel - nome de revista de foto-novelas -, mais precisamente, no boteco ligado a um dos nossos melhores e mais tradicionais estabelecimentos hoteleiro da capital brasileira do calçamento "cabeça de jacaré". Esqueci de falar que os caras andavam de paletó e gravata. Foi o máximo!!!