domingo, 26 de setembro de 2010

Domingo que vem é dia de meter o dedo na urna




Edmar Oliveira


Não queria falar desse assunto. Mas estamos na semana da eleição. E o 1000TON tem provocado aqui com a sua coluna política de quase sempre. Pois então me aguentem.


Confesso não estar entusiasmado muito com essas eleições. Eu, que como muito de nós esperamos ansiosamente pela democracia quando éramos oprimidos pela ditadura. Edgar Alan Poe afirma que “É uma forma de felicidade, o imaginar; uma forma de felicidade, o sonho”. A realidade, às vezes, esmaece essa felicidade sonhada.


E na política, quando estamos participando e vivendo o momento, a paixão dificulta o entendimento. Quando entendemos, o momento já passou e não podemos interferir. Portanto, aproveitando que não estou apaixonado nem participando, me afasto um pouco para tentar entender e dividir com vocês.


O nosso presidente parece ter se transfigurado no pai dos pobres que foi Getúlio, assim como num conto do Poe. E repetiu o gesto de unir o PTB, braço da esquerda trabalhista, com o PSD, para que as oligarquias permitissem o avanço das conquistas reais para a população excluída. No momento tiramos o B do PTB e colocamos o PMDB no lugar do PSD para entendermos a real revolução na melhoria das condições de vida dos excluídos e da inclusão de um número significativo da classe E na classe média D. Este fato, e a expectativa de maior inclusão, explica a popularidade do Lula e do acontecimento inédito na história: um governante transferir mais votos para o seu sucessor do que o número de votos que ele mesmo teve. Entretanto o custo foi deixar o Sarney, o Collor, o Barbalho, o Renan e tantos outros crápulas com seus poderes de elite e nos deixando com nó nas tripas. Portanto, o Cara repetiu Getúlio com mais competência, sem precisar dar um tiro no peito pra entrar na história. Bastou carregar um isopor de cerveja na cabeça, como um legítimo farofeiro, para se identificar com o povo.


Na oposição temos a UDN golpista, que tanto aporrinhou Getúlio, agora em desespero. E o Corvo de hoje não tem um milímetro do talento do Lacerda e faz o triste papel do coveiro dos golpistas do DEMônio, ex-PFL, ex-PSD ex-ARENA, esteio da ditadura do passado. O problema aqui é que o Getúlio melhorou e o Lacerda tucano caga mais do que esguicha. A oposição competente é a grande imprensa, do Rio e São Paulo, que assiste os interesses dos poderosos fabricar um fraco candidato de oposição que não consegue lugar para colocar os antigos donos do poder de volta. A elite paulista está ensandecida e até com inveja dos corruptos que se aliaram ao Lula e antes eram seus aliados.


A Marina com sua religiosidade exuberante é contra o aborto, pesquisa de células troncos e muitos dos avanços de hoje. Além de, na sua raiva, preferir ao Serra. Modernizou o discurso de esquerda, como fez o Lula, mas é uma ecocapitalista na definição do Plínio (se ela morrer seríamos governado pela Natura!). E o Plínio tem a vantagem de ser muito bem humorado, mas é um candidato de ontem com ideias de antes de ontem, como já foi dito.


Mesmo sem vontade e saudosista da felicidade do sonho do passado, vou às urnas enfiar o dedo na mãe do PAC, apesar de detestar esse maternalismo da “mulher do Lula” (e torcendo para o seu câncer ter estancado, senão terei votado no Michel Temer, meu Deus do céu!). Tem outro jeito? Afinal é um reconhecimento de que Lula melhorou muito o país, mesmo escrevendo por linhas tortas. Não por ser Deus, mas por dificuldade de escrever. E uma facilidade enorme de dizer o que se quer ouvir...


____________________


O diabo é que essas linhas tortas sangram os cofres do país e não me deixam votar no Rio de Janeiro. E a distorção de um pensamento político faz alguns esquerdistas votarem no Crivella, por recomendação do Lula, para barrar o César Maia. A esses acho melhor largarem a políticas e irem rezar...


Não escreví manifesto, apenas impressões. Portanto não respondo aos lulistas ou aos anti-lulistas. Concordando com o Macaco Simão: eu não gosto do Lula. Mas gosto menos ainda de quem não gosta do Lula.

4 comentários:

LOUCA PELA VIDA disse...

A CESAR O QUE É DE CESAR... acho que só agora entendi esa "máxima" evangélica, é sobre política, essa dos poderes podres. O que resta a sociedades civil senão a religião, senão a luta vã por sonhos envelhecidos?

chico salles. disse...

É realmente dificil compreender que tantos anos de luta, de sonhos e de espera, foram conduzidos para o nada, ou menos que isso, se possível fosse. Feito tartaruga ou feito rabo de cavalo, andamos para traz e crescemos para baixo respectivamente.

Com esta política que o amigo Edmar tenta justificar e explicar, concluimos que o Brasil ficou sem auternativa consequente de Podes, e fomos colocados naquela situação de completa inutilidade e impotencialidade, "se correr o bicho pega se ficar o bicho come".

Assim resta-me, acuado como estou, aqui ficar e não participar deste verdadeiro "embróglio", deixando que o mais esperto e rápido me pegue ou me coma.

ABSTENTENÇÃO total plena e irrestrita, ou Desobediência Cívil, como queiram.

Chico Salles.

Gervásio. disse...

Como o Edimar vou tascar o Dedo na Dilma. O que não posso permitir é que o "tucano", sendo eleito, me enfie "outra coisa" no rabo!

missosso disse...

boa companheiro, firme na luta, o Piauinauta não se esquiva da dividida política. Grande!