domingo, 17 de dezembro de 2017

O PARNAÍBA


Desenho: Paulo Moura


Geraldo Borges

O rio Parnaíba é um rio torto
Que da voltas por dentro do mato
É um rio que está quase morto
Maltrapilho de tanto mal – trato.

O rio Parnaíba é m rio sujo
Com as mãos estendidas em suas margens
Foi se o tempo que tinha marujo
Para contar historias de torna viagens.

O rio Parnaíba está se arrastando
Esfarrapado pela beira do cais
Não agüenta o peso das pontes de concreto

O rio Parnaíba está adornando
Água esvaindo pelos seus beirais
E o seu leito vai ficar deserto.

_________________________

Poema de Geraldo publicado na edição de 8 de dezembro de 2007. Naquele tempo não havia ainda as edições quinzenais. Íamos publicando de acordo com o material produzido. Nesses dez anos o Rio Parnaíba morreu mais um pouco!

Desenho luxuoso de Paulo Moura, para esta edição histórica.








Nenhum comentário: