domingo, 19 de junho de 2011

Bíblia, um livro de auto-ajuda

Geraldo Borges
.
Tirando a carta de ABC e a Tabuada, o primeiro livro que eu conheci foi a Bíblia Sagrada, protestante, por que existe também a católica, que os protestantes chamam de apócrifa, briga de comadres. O certo é que o livro, o rolo, foi o primeiro a ser impresso pelos tipos moveis de Gutenberg. Podemos considerar a Bíblia como o primeiro  livro de auto- ajuda do Ocidente. Na verdade a Bíblia é uma biblioteca, e  dentro de suas páginas têm receitas e portas para tudo.Buscai e acharei. Poderia falar de muitos outros livros de auto- ajuda, mas não acho necessário. Pois a Bíblia é a fonte de todos eles. Nesse caso vamos aos donos dos porcos. Os salmos são uma grande panacéia, um emplastro para botar para cima pessoas deprimidas, pecadoras, que andam pelos vales das sombras da morte.
            Mas os cristãos não se aquietam. Talvez por que não sabem ler a palavra direito. Lá em algum lugar, no canto de alguma página um apóstolo diz, ficai quietos. As muitas letras nos fazem delirar E nessa inquietude lá vai o cristão bater em outras portas, atraídos pelo Oriente. Não se conformam com o seu Evangelho, as boas notícias, que os judeus lhes deram de presente, em nome de seu filho crucificado. O Messias. E sem sossego vão bater em outras portas. Isso me recorda um filosofo que disse, mais ou menos assim,  por que mudar de religião, por que mudar de dúvida?
            É a eterna inquietação do homem. A filosofia. Procuram uma nova embalagem. Mas o conteúdo é sempre o mesmo, apenas as metáforas mudam, e a forma de introduzir o discurso. Pois nada existe de novo debaixo do sol.
            A Bíblia, repito, é o livro dos livros. È a maior fonte literária do Ocidente, com os seus mitos e verdades camufladas. Todos os grandes escritores, os clássicos e modernos foram beber nas chamadas escrituras as suas fontes de inspiração.
            Comecei a ler a Bíblia desde menino, ainda soletrando, em voz alta, na escola dominical, em principio por iniciativa de minhas irmãs mais velhas, que se converteram ao protestantismo. E como toda religião é catequista, elas queriam me converter também. E de fato me converteram. Sim. Num apaixonado leitor da Bíblia. Mas não em um protestante, como se costuma chamar os adeptos do protestantismo.
            Criança, livre do pecado, e sem a preocupação de salvar a minha alma eu fui folheando  a Bíblia desde o Gêneses ao Apocalipse passando por  Sanção, jovem, de cabelos compridos, pronto pata desafiar os Filisteus, com seus enigmas, suas adivinhações, e, de repente, cai nas mãos de Dalila, e torna-se um ser desprezível, cego, a girar em torno de um moinho até que seus cabelos crescem de novo, E as forças lhe voltam. E ele se vinga derrubando o templo do rei Dagom. Um conto perfeito. E a mula de Balaão falando, me lembrou as histórias de fada dos tempos em que os bichos falavam. Agora em que língua ela falou, eu não sei. Talvez em hebraico. Hoje elas falam em nome de Deus em vários idiomas.  A história de David e Bate-Seba, a traição de David, tomando a mulher de Urias, o seu general, e mandando - o para o Front mais acirrado da batalha a fim de que ele morresse, e deixasse o caminho livre para  que ficasse com sua mulher, a cordeira do homem pobre.
José do Egito e seus Irmãos, considerado por Tolstoi, o maior conto da literatura ocidental, e transformado em um grande romance pelo escritor Thomas Mann, A pequena história do profeta Jonas atirado para o ventre de uma baleia e depois cuspido em uma praia, todo isso por que estava recalcitrando às ordens de Jeová para pregar em Ninive. A parábola de Marta e Maria, um conto, curto, modernismo. A história de Labão e Jacob envolvendo Raquel e Lia tão bem sintetizada em um soneto de Camões é uma obra prima.
São tantas as narrativas que a Bíblia contem com seu realismo mágico que temos que admitir que Jesus Cristo é o personagem mais vivo da cultura literária ocidental.  E como estou falando em auto - ajuda, volto a repetir, a Bíblia me ajudou muito. Uma das técnicas narrativas da Bíblia é a repetição. E o leitor atento pode notar.
Logo me convenci que a Bíblia é tão magnífica e épica como a Odisséia e a Ilíada, com a diferença que a Bíblia admitia apena um Deus como verdadeiro, e esse é o eixo de todas as suas funções narrativas, desde a saída do Éden até a ressurreição do Messias, e finalmente o Apocalipse. Muitos estudiosos, filósofos, tem se dedicado ao estudo da Bíblia, enquanto muito leitores leigos apreciam apenas as suas belas e edificantes histórias e lendas.
Pois bem, caro leitor, a leitura do rolo sagrado não meu converteu ao protestantismo. Embora eu seja cristão por batismo, e assimilação cultural, é mais cômodo; as igrejas estão sempre de portas abertas para as ovelhas que, voltam como filhos pródigos, depois de tremendas peripécias pelo mundo,  prontas para levantar a sua auto-estima. Não é o meu caso. Prefiro a duvida da filosofia.
A Bíblia não é apenas uma biblioteca que, ocupa lugar, em quase todas as casas de pessoas alfabetizadas. Às vezes, ao lado de um pequeno busto de Buda. Ela também é folclore. Pois existem muito analfabetos que citam a Bíblia, e contam velhas anedotas de são Pedro com Jesus Cristo quando andavam pelo mundo. De modo que, a Bíblia é muito fértil, tanto no campo da literatura como da pintura, da escultura e da musica. Antes de ser lida através do alfabeto impresso foi lida na mensagem dos vitrais nas igrejas.
Mesmo assim a Bíblia, às vezes, é olhada com indiferença por muita gente. Talvez por causa do preconceito religioso, que só a filosofia desfaz. Muitos trocam a Bíblia pelas novas promessas que vem do Oriente, New Age, Budismo, Taoísmo, caminho do meio. A procura da porta da auto – ajuda
 E para terminar estas divagações sobre o livro, dou um exemplo de como a Bíblia também liberta, No filme – Um Sonho de Liberdade. O prisioneiro esconde dentro de uma Bíblia oca sua pequena ferramenta, a qual, ele usa para abrir um túnel a fim de escapar para o mundo livre. Um dia o diretor da prisão faz – lhe uma visita e vê o prisioneiro sobraçando o livro, e diz–lhe, a sua salvação está aí dentro. Estava mesmo. O seu sonho de liberdade e auto-estima foi realizado.

2 comentários:

J. H. Nogueira disse...

Gostei muito. Eventualmente leio uma passagem, abro nos provérbios e reflito.

helio disse...

O seu texto é do tipo que afeta ocoração penetra a alma
http://bit.ly/11Ke2HQ